quarta-feira, 22 de junho de 2011

PRIMEIRAS DAMAS DE SÃO JOAQUIM: BELIZÁRIA RIBEIRO DO AMARANTE


PRIMEIRA-DAMA NO PERÍODO 1898 - 1926:
4º Prefeito - Cesário Joaquim do Amarante

Por Ismênia Ribeiro Schneider

Dados Pessoais:

Nome de solteira: Belizária Ribeiro do Espírito Santo
Pai: João da Silva Ribeiro Júnior (1819-1894) – “ Coronel João Ribeiro”
Mãe: Ismênia Baptista de Souza(1831- 1912)
Esposo: CESÁRIO JOAQUIM DO AMARANTE (25.02.1852 – 10.08.1929)
               Filho de Felisberto Joaquim do Amarante e Carlota Joaquina do Amarante ( de Liz)
Nascimento de Belizária: fazenda “São João de Pelotas”,     /     /1867
Casamento: Lages, 06/09/1885
Morte:
Fazenda: do “Barreiro”, Painel

BELIZÁRIA nasceu e viveu até os dezoito anos, quando se casou, na Fazenda “São João de Pelotas”, uma das maiores, ricas e movimentadas propriedades da Região Serrana. Seu pai, o Coronel João Ribeiro, desde muito cedo tornou-se o principal chefe político do Partido Republicano no Planalto Serrano. Onde quer que a família se estabelecesse, nas fazendas, ou nas cidades de São Joaquim ou Lages, vivia rodeada de amigos, correligionários, chefes políticos importantes. Foi, pois, natural que a jovem se acostumasse aos embates políticos e ao exercício do poder. Era o seu “habitat” natural. Nas pegadas da mãe, Ismênia Baptista de Souza, tornou-se a esposa ideal para Cesário Joaquim do Amarante, quarto Prefeito Municipal de São Joaquim pelo período de vinte e oito anos ininterruptos, de 1898 a 1926.
O casal não teve filhos e, por isso, quando faleceu a irmã de Belizária, Ignês Batista Ribeiro, deixando cinco filhos pequenos, adotaram com alegria a sobrinha PÁSCHOA BATISTA DE OLIVEIRA, de três anos, que lhes confiou Inácio Sutil de Oliveira, pai da menina, ao retirar-se para o Mato Grosso.
“Pascoinha”, como era chamada, casou-se no dia 21.12.1912 com OSCAR ALVES FERREIRA, passando a se chamar PÀSCHOA DO AMARANTE FERREIRA, mãe da conhecida família joaquinense “Amarante Ferreira”, herdeira da Fazenda “do Barreiro”, no Painel, e guardiã das ricas tradições da importante estirpe fundada por Cesário/ Belizária.

                               Filhos de OSCAR e PÁSCHOA:

1 – FULVIO AMARANTE FERREIRA ( 1912-    )
      c.c. Nadir Borges (       1997)
      Filha de Outobrino Vieira Borges e Maria Benta Macedo Borges
      Nº de filhos: 05
      Fazendas: “Butiá” e “Três Pedrinhas”

2 – DALMO AMARANTE FERREIRA (1915 – 10.05.1977 ),

      c.c. Ruth Ribeiro Ferreira (1919 –  residente em Lages)
      filha de Affonso Ribeiro Sobrinho e Alzira  Vieira Ribeiro
      Nº de filhos: 02
      Fazenda “do Barreiro”

3 – BELISÁRIA AMARANTE FERREIRA ( 1916 – vive)
      c.c. Cícero Witzel       ( vivem em Campinas,SP)
      Filho de José Witzel e Benedita Astrogilda Witzel
      Nº de filhos: 04
   
4 – CESÁRIO AMARANTE FERREIRA (1917 – 1967
      c.c. Zenaide Córdova
      Filha de Antônio Córdova , “Tonico”, e Lídia Rodrigues Córdova
      Nº de filhos:

5 – DILMA AMARANTE FERREIRA  (1919 –  2003
      c.c. Joel Guimarães Batista  (vive)
      Filha de Leonel Batista e Honorata Guimarães Batista
      Nº de filhos: 05

6 – JOSÉ AMARANTE FERREIRA  ( 1920 – 1994 )  “Zelo”
      c.c. Zilda Melo
      Filha de Felício Melo e  ?
      Nº de filhos: 06

      2ª esposa: Leila Antunes (vive)
      Filha de Jùlio Antunes de Amorim e Rute Furtado Antunes
      Nº de filhos: 03
            
7 – ALDO AMARANTE FERREIRA (1922 – 1979 )
      c.c. Laura Cândido Ferreira
      Filha de Vidal Cândido da Silva e Teodolina Cândido da Silva
      Nº de filhos:  não tiveram
      Fazenda: “Morro do Vento”

8 – DALILA AMARANTE FERREIRA (1923 – 1993)
      c.c. Arnaldo Salles de Abreu
      Filho de João Salles e Joana Cheromim Salles
      Nº de filhos: 03

9 – JARBAS AMARANTE FERREIRA (1924 – 1991)  “Bio”
      c.c. Norma Fontanella Cruz Ferreira  ( vive)
      Filha de Gregório Pereira da Cruz e de ?
      Nº de filhos: 05
            
10 – OSCAR  FERREIRA FILHO (1925 – 1995 )  “Oscarzinho”
        c.c. Vírginia Damásio Ferreira ( vive)
        Filha de João Damásio e ?
        Nº de filhos: 01
11 – CLÊNIO AMARANTE FERREIRA (1927 – residente em Florianópolis)
        c.c. Iolanda Bleyer
        Filha de Thássilo Neves Bleyer e Filomena Mattos Bleyer
        Nº de filhos: 07

12 – JAILO AMARANTE FERREIRA (1929 – 1980)
        c.c. - 1ª esposa: Lourdes Pires de Haro ( vive)
        Filha de Horácio Pires de Haro e  ?
        Nº de filhos: não tiveram
                 2ª esposa: Leoni ( vive)
        Filha de Francisco Abílio e ?
        Nº de filhos: 05

13 – MARIA INÊS AMARANTE FERREIRA, “Cotinha” (1930 – residente em  São Joaquim)
        c.c. Saulo Andrade Vieira
         Filho de Belisário Araújo Vieira e ?   
         Nº de filhos: 04      
                                               
                                    ****************************

CESARIO JOAQUIM DO AMARANTE
Dados complementares sobre seus ancestrais, levantados nos arquivos do Museu do Judiciário Catarinense, em Florianópolis, onde se encontram guardados vários inventários da Comarca de Lages, referentes ao período de 1840 a 1888.

Linha Paterna de sua ascendência
 Inventário de 1861:  (pais)
Falecido: FELISBERTO JOAQUIM DO AMARANTE
Inventariante: CARLOTA JOAQUINA DE LIZ (viúva)

FILHOS:
-                     Felisberto, idade 16 anos, solteiro
-                     Policarpo, idade 13 anos, solteir
-                     Maria, idade 11 anos, solteira
-                     CESÀRIO, idade 9 anos, solteiro
-                     Procópio, idade 7 anos, solteiro
-                     Cândido, idade 4 anos, solteiro


Inventário de 1847: ( avós paternos)
Falecida: ANNA JOAQUINA DE BOENAVIDES
               c.c. MIGUEL BICUDO DO AMARANTE (já falecido na época deste inventário)
Inventariante: Generoso Pereira dos Anjos
                        ( um funcionário do Fórum na época)

FILHOS:
-                     Vasco Joaquim do Amarante
-                     Diogo José Bicudo do Amarante
-                     Francisco Bicudo do Amarante
-                     FELISBERTO JOAQUIM DO AMARANTE
-                     Antônio Joaquim do Amarante
-                     Joaquim José do Amarante
-                     Maria Euphrasia, c.c. Henrique Paes de Farias
-                     Anna Maria de Boenavides, 30 anos, solteira.

Observações importantes:
1ª - Seguindo antiga tradição de Portugal, geralmente, as filhas mulheres recebiam o sobrenome da mãe ou avó. Por isso, ANNA JOAQUINA recebeu o sobrenome de sua família materna, “BOENAVIDES” ( depois “BENAVIDES”), do avô, originário de Buenos Aires, Bernardo Buenavides, casado com a lagunense, Domingas Leite (nascida em 1749) . Bernardo e Domingas tiveram uma filha, Maria Bernardes do Espírito Santo, que se casou com MANOEL DA SILVA RIBEIRO ( 1712 – 1802), natural  do norte de Portugal e que veio para o Brasil, instalar-se em Santo Antônio da Patrulha, RS. Cerca de 1755 a 1765 requereu a sesmaria do Pelotas, na comarca de Lages, tornando-se o primeiro representante da FAMÍLIA RIBEIRO em SC.
Manoel e Maria Bernardes tiveram  dez filhos, entre eles Anna Joaquina ( 1773 – 1847) casada com Miguel Bicudo do Amarante em 1787.
Segundo os “Sensos de Ordenanças” (SO) da época (os atuais sensos demográficos ), Miguel Bicudo do Amarante era filho de Gonçalo Bicudo do Amarante e  de Jacinta Maria do Rego. Eram moradores do lugar denominado “Tributo” e depois do “Amola Faca”, ao norte da cidade de Lages .
Manoel da Silva Ribeiro e Maria Bernardes Boenavides tiveram um outro filho, Pedro da Silva Ribeiro, que foi o bisavô de Belizária Ribeiro do Amarante, assim como Anna Joaquina  foi a bisavó  “Ribeiro” de Cesário Joaquim do Amarante;
2ª - Todos esses laços de parentescos que se vai descobrindo entre os descendentes das mais antigas estirpes serranas, confirma uma “velha” constatação dos genealogistas da região: as famílias eram poucas, distribuídas em grandes latifúndios de criação de gado. A comunicação era difícil pela ausência de estradas e pelo terreno montanhoso. A única “vila” existente na região era Lages. A conseqüência lógica é que os casamentos aconteciam em decorrência de encontros fortuitos, ou por arranjo familiar entre os jovens de uma mesma linhagem, ou entre filhos de famílias vizinhas e / ou amigas.

Linha Materna da ascendência de Cesário Joaquim do Amarante

Mãe: CARLOTA JOAQUINA DE LIZ (conforme inventário do marido, Felisberto)
          Filha de Nicolau de Liz e Abreu e de Umbelina Maria Pereira  (casados em Lages, em
          1800); Neta de Joaquim José Pereira (nascido em Portugal) e Ana Maria Santa Rita
          (nascida no Desterro), casados em 10.11.1786          
  
Inventário do ano de 1878 (avó materna)
Falecida:UMBELINA MARIA PEREIRA (c.c. Nicolau de Liz e Abreu, já falecido)
Inventariante: Antônio José de Liz (filho)

Título dos Herdeiros:

1-   Antonio José de Liz, 70 anos.

2- Joaquina de Liz e Abreu, já falecida e represetada por seu marido José Henrique de Souza[1].

3-  Libânia Joaquina de Liz, já falecida e representada pelos filhos e netos seguintes:
3.1 – Ismael de Liz e Silva, casado, 50 anos.
3.2 – Maria Thereza, casada com José Luiz Pereira.
3.3 – Luzia Alves Viana, ausente em lugar não sabido.
3.4 – Cândido Inácio de Liz, 25 anos, casado Mª Joaquina Ribeiro de Liz

4 – Semeana Pereira de Liz, já falecida e representada pelos filhos e netos:
4.1 – Vidal Agostinho de Liz, c.c. Clemência Umbelina de Liz
4.2 – João Daniel Vieira, casado.
4.3 – Joaquim Lopes de Liz, falecido, representado pelos netos:
4.3.1 – Gaspar, 20 anos, solteiro.
4.3.2 – Maria, casada com Manoel de Almeida Mello.
4.3.3 – Adelina, 14 anos, solteira.
4.3.4 – Jacintho, 13 anos, solteiro.

5 – Anna Victorina de Liz, já falecida e representada por seu filho Antonio Victorino de Liz , solteiro, de quarenta e dois anos de idade[1] 

6- CARLOTA JOAQUINA DE LIZ (faleceu em 08/10/1884[2]), viúva de FELISBERTO JOAQUIM DO AMARANTE (que morreu assassinado em sua fazenda, em 1861).
Possuíam duas fazendas: a Morro Grande e a Barreiros, que ficaram de herança para os filhos.
        (Ver inventário de Felisberto, já transcrito,  com a relação dos filhos)

7 -  Maurícia Joaquina de Liz. c.c. Francisco Alves da Rocha, falecida e representada
       pelos filhos seguintes:
7.1 – Maria José, c.c. João Francisco Lemos.
7.2 – Balbina de Liz, c.c. Cândido Almeida de Mello.
7.3 – Manoel Alves de Liz, 25 anos, casado.
7.4 – José Alves de Liz, 22 anos, casado.
7.5 – Cândido Alves de Liz, casado.
7.6 – Antônio Alves de Liz, já falecido, representado pela viúva Maria Sutil.
7.7 – Joaquina de Liz e Abreu, já falecida e representada pelos filhos seguintes:
7.7.1 – Paulino de Liz, casado.
7.7.2 – Maria Clemência, c.c. José Caetano Machado.
7.7.3 – Rozalina, c.c. com  Francisco Borges do Rego.

8 - Clemência Pereira de Liz[1], já falecida e representada por ser filhos seguintes[1]:
8.1 - Paulino de Liz, casado
8.2 - Maria, casada com Jose Caetano Machado
8.3 Rozalina, casada com Francisco Borges do Rego

Joaquina de Liz e Abreu, Carlota Joaquina de Liz e seu filho Capitão Procópio Joaquim do Amarante estão enterrados no cemitério da Fazenda Grande[2].


Dos filhos de FELISBERTO/ CARLOTA JOAQUINA, três possuíam fazendas na mesma área, na região do Painel:

CESÁRIO JOAQUIM DO AMARANTE (1852 – 1929)
c.c Belizária Ribeiro do Amarante ( 1867 – 1949)
Fazenda do BARREIRO – mais ou menos 11 milhões de metros quadrados - herdada

2º - PROCÓPIO JOAQUIM DO AMARANTE (1856 - 10/08/1922, com 66 anos de idade[3])
       c.c Maria Clara de Sá (1850 – 1936)
        Fazenda  SANTA CLARA – cinco milhões de metros quadrados

3º - CÃNDIDO JOAQUIM DO AMARANTE ,“Candinho” ( 1857 – 1920)
       c.c. Pureza de Souza ( 1849 1936)
       Fazenda BOA VISTA – cinco milhões de metros quadrados

                                  ******************
Nota:
Esses dados e o “croqui” das três fazendas foram fornecidos pelo descendente de Cesário/ Belizária, Clênio Amarante Ferreira, residente em Florianópolis. Alterei as datas de nascimento de Procópio e Candinho, baseada nas informações do inventário de Felisberto, p.14:
-                                 Procópio tinha sete anos em 1861, quando morreu o pai; Candinho tinha quatro. Portanto, Procópio nasceu em 1854, e Candinho em 1857.
-                                 Belizária, segundo a certidão de casamento, de 1885, tinha dezoito anos nesse ano; assim, nasceu em 1867.
O Sr. Clênio, um estudioso da história de sua família, sabedor que estou também pesquisando as fazendas das primeiras famílias de nossa estirpe, vai relatar e relacionar todas as que pertenceram ao seu ramo. Contou, por exemplo, que seu pai, Oscar, cuja família era natural do Rio Grande do Sul, veio se estabelecer na região como dentista formado. Com seu próprio esforço tornou-se um grande proprietário de terras, com cerca de 60 milhões de metros quadrados. Comprou, por exemplo, a Fazenda “Boa Vista”, de Candinho, “Penedo” e “Amarelo” que faziam parte da fazenda original de “São João de Pelotas”, a fazenda “Três Pedrinhas”, etc. Aguardaremos o seu relatório para ampliar os dados sobre a Família Amarante Ferreira. 




Referências
[1] Dado fornecido por Jairo Duarte. Disponível em: http://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/08/23/inventario-de-umbelina-maria-pereira/
[2] Dado fornecido por Jairo Duarte, que retirou a informação do túmulo de Carlota Joaquina de Liz [http://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/09/07/fazenda-grande-hoje/].
[3] Dado fornecido por Jairo Duarte, que retirou a informação do túmulo de Procópio Joaquim do Amarante.

4 comentários:

  1. Prezada Sra. Ismênia

    Desde que adquiri a antiga sede da Fazenda Grande em Painel, tenho pesquisado sobre o Capitão Joaquim José Pereira, seus descendentes e ascendentes.

    Tenho cópia do inventário de sua filha Umbelina Maria Pereira e a senhora precisa fazer uma correção de dados.

    Umbelina Maria Pereira tinha 8 filhos, 1 homem e 7 mulheres.

    Na sua listagem faltam tres filhas:
    1) 4) Anna Victorina de Liz, já falecida e representada por seu filho Antonio Victorino de Liz, solteiro, quarenta de dois anos de idade.
    2) Joaquina de Liz e Abreu, já falecida e representada por seu marido José Henrique de Souza.
    3)8) Clemência Pereira de Liz, já falecida e representada por seus filhos seguintes:
    Paulino de Liz, casado
    Maria, casada com Jose Caetano Machado
    Rozalina, casada com Francisco Borges do Rego

    Joaquina de Liz e Abreu, Carlota Joaquina de Liz e seu filho Capitão Procópio Joaquim do Amarante estão enterrados no cemitério da Fazenda Grande.

    É bom ressaltar que o casamento do Capitão Joaquim José Pereira e Ana De Santa Rita foi o primeiro a ser realizado em Tubarão.
    O Capitão-Mor de Laguna João da Costa Moreira, pai de Ana de Santa Rita é considerado o fundador de Tubarão.
    http://antigo.tubarao.sc.gov.br/a-cidade/

    Atenciosamente

    Jairo Duarte

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Sra. Ismênia

    Criei um blog para divulgar parte das pesquisas que venho realizando nos últimos anos sobre o Capitão Joaquim José Pereira e seus descendentes.
    Acredito que duas postagens em especial sejam interessantes para complementação desta postagem.
    A transcrição do inventário de Umbelina Maria Pereira http://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/08/23/inventario-de-umbelina-maria-pereira/ e o histórico do processo de legalização da Fazenda Monte Alegre http://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/08/27/processo-legalizacao-da-fazenda-monte-alegre/

    Atenciosamente

    Jairo Duarte

    ResponderExcluir
  3. Prezada Sra. Ismênia

    Favor corrigir dados do Capitão Porcopio Joaquim do Amarante, irmão do Cel. Cesário do Amarante.
    Conforme dados do túmulo, ele faleceu em 10/08/1922 com 66 anos de idade, portanto nasceu em 1856.
    Favor acrescentar a data de falecimento de Carlota Joaquina de Liz 08/10/1884.
    Fotos dos túmulos no link: http://pioneirosdaslagens.wordpress.com/2014/09/07/fazenda-grande-hoje/

    Atenciosamente

    Jairo Duarte

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada pelas informações! Já fizemos a correção da data e acrescentamos a data de falecimento da Carlota.
    Acrescentei o seu blog como uma indicação de links interessantes. Veja ao lado direito do meu blog.
    Att.,
    Ismênia.

    ResponderExcluir