quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Rua Sebastião Furtado


Ismênia Ribeiro Schneider
Cristiane Budde

            Retomamos as atividades do Blog com mais uma matéria da série “Nomes de ruas e praças de São Joaquim (SC)”. A postagem de hoje apresenta uma rua localizada no centro da cidade, denominada Sebastião Furtado. Ela homenageia um personagem importante da região serrana, que foi advogado provisionado, jornalista e também político catarinense.
            Sebastião da Silva Furtado nasceu em 20 de janeiro de 1869, Lages, SC, filho de Moysés da Silva Furtado e de Emília Batista Ribeiro Furtado[i].

Notas:
* Moysés da Silva Furtado era filho de José da Silva Furtado e de Joaquina Maria do Espírito Santo. Mais informações sobre os filhos de Moysés mais abaixo.
Fazenda: do “Limoeiro”, formada de várias invernadas.
**Emília era filha de João da Silva Ribeiro Júnior (1819-1894) – “Cel. João Ribeiro” e de Esmênia Baptista de Souza (1831-1912) (filha de “Inholo”).


            De acordo com Piazza (1994, p. 305), Sebastião 
Fez seus estudos primários nas escolas da terra natal ou com “professores de fazenda”. Cursou o Colégio N. Sra. da Conceição, São Leopoldo, RS (1887). Dedicou-se ao jornalismo em Lages, redatoriando [os jornais] “Quinze de Novembro” (1889), “O Lageano”, 2ª fase (1891), “Gazeta de Lages” (1892) e “Região Serrana” (1897). [Foi] Promotor Público da Comarca de Lages (1895 – 1904) como advogado provisionado pelo Tribunal de Justiça de Estado, Deputado ao Congresso Representativo do Estado à 2ª Legislatura (1896 - 1897), Suplente de Secretário da Assembleia (1897), Deputado Estadual à 3ª Legislatura (1898 - 1900), Deputado Estadual à 6ª Legislatura (1907 – 1909), Deputado Estadual à Constituinte (1910) e à 7ª Legislatura (1910 – 1912), Deputado Estadual à 8ª Legislatura (1913 – 1915).
Faleceu, em Lages, em 12.12.1915.
Foi casado com D. Júlia Ramos Furtado, filha de Francisco Vitorino dos Santos Furtado e de D. Maria Gertrudes Ramos. Desse matrimônio houve descendência.


Nota: Francisco Vitorino dos Santos Furtado (04/10/1844, Desterro, SC – 06/11/1885), filho de Francisco Furtado e de D. Maria Vitorina Lessa. 
Francisco Vitorino foi Promotor Público da Comarca de Lages (nomeado a 26/02/1872)i.



Sebastião da Silva Furtado. Fonte: PIAZZA, 1994.



Sebastião da Silva Furtado era filho de Moysés da Silva Furtado (1832 - 04/07/1900[ii]) e de Emília Batista Ribeiro Furtado[iii]. O casal teve ainda outros 11 filhos. Segue abaixo a relação completa dos filhos de Moysés e Emíliaii:    

F1- SEBASTIÃO DA SILVA FURTADO (20/01/1869 - 12/12/1915), c.c. JÚLIA RAMOS FURTADO, filha de Francisco Vitorino dos Santos Furtado e Maria Gertrudes Ramos.
Filhos:
N1.1- JULIETA RAMOS FURTADO, c. c. Hortêncio Goulart (de São Joaquim).
N1.2- EDITE RAMOS FURTADO, c. c. Acácio Vieira (São Paulo)
N1.3- MARIA JOSÉ RAMOS FURTADO, (“tia Zé”), c. c. Mário Izírio Pereira (de São Joaquim).
N1.4- MARIA EMÍLIA RAMOS FURTADO, c. c. Otávio Rafaeli.
N1.5- MARIA IZABEL RAMOS FURTADO, falecida ainda criança.
N1.6- RUBENS RAMOS FURTADO, c. c. Argentina Mattos Furtado.
N1.7- JOÃO GUALBERTO RAMOS FURTADO,
1as núpcias: Edir Pacheco Furtado.
2as núpcias: Heliete Magalhães Furtado.
N1.8- NOEMI FURTADO RAMOS, c. c. Lupércio de Oliveira Höche.
N1.9- GELSO RAMOS FURTADO, c. c. Hena Castro Furtado.

O casal Sebastião e Júlia teve mais dois filhos nati-mortos.
Viveram e criaram os filhos na Fazenda do Limoeiro (na chamada Fazenda do “Pinheirinho”), legítima de Sebastião, quando do inventário do pai em 1900. Sebastião faleceu aos 46 anos, em 1915.
Júlia e os filhos mudaram-se para a cidade de Lages.

F2- ISMÊNIA DA SILVA FURTADO, c. c. Saturnino da Silva Furtado, filho de Luciano da Silva Furtado e Maria Amélia Olinto.
Filho: Theodósio (nasc. 1892- ?).
Domicílio: Pelotinhas (Coxilha Rica).

F3- MANOEL DO NASCIMENTO FURTADO, c. c. Carolina Vieira Furtado, filha de João Luiz Vieira Jr. e Ismênia Muniz de Saldanha (filha de “D. Yayá”, Ismênia Muniz de Saldanha – 1803/1888) e Antonio Caetano Machado.
Filhos: Emília Furtado, c.c. Vidal Ramos Júnior; Ismênia, c.c. João Pedro Arruda; Djalma Furtado, c.c. Celina Ribeiro Ramos (filha de “Lica Ramos” e Júlia Batista Ribeiro Ramos, filha do Cel. João Ribeiro e Ismênia Baptista de Souza, sendo, pois, Celina, bisneta de Inholo); Nilo?

F4 - JUCUNDINO DA SILVA FURTADO, c. c. Maria Justina Rosa Furtado, filha de Francisco José da Rosa (falec. 1895) e Maria do Nascimento Silva Rosa (esta, filha de Manoel Ribeiro da Silva Filho, “Ribeirinho”, enteado de Inholo, filho de Cândida dos Prazeres Córdova e de seu primeiro marido, Manoel Ribeiro da Silva, “Ribeirão”, dono da Fazenda do Escurinho).
Segundo a crônica familiar, Jucundino e Maria Justina não tiveram filhos.

F5 - MARIA COLLECTA FURTADO RAMOS, c. c. Francisco de Oliveira de Paula Ramos, filho de Henrique Ferreira Ramos (nasc. 27.04.1812 – falec.02.03.1871) e Clara Leopoldina de Oliveira, falecida em 14.12.1850 ( donos da Fazenda “Penteado”), e que se casaram em 01.07.1837.
Domicílio: Invernada do “Pinheirinho”
Nº de filhos: 13.

F6- HONORATO DA SILVA FURTADO, c. c. Zulmira de Camargo Furtado, filha de Cândido de Camargo Melo e Esmênia Ramos de Camargo.
Notas: Cândido, filho de José Custódio de Camargo.
Esmênia, filha de João José de Oliveira Ramos e Carlota de Camargo Melo (assassinados em sua fazenda dos Touros, no RS)
Filhos: Agenor, Orlando, Sueli, “Tia Pata”.

F7- BENEVENUTO DA SILVA FURTADO, c. c. Josefina Godinho Furtado.

F8- HERCULANO EDMUNDO DA SILVA FURTADO, c. c. Adelaide Borges Furtado.

F9- EULALIA MIGUELINA RIBEIRO FURTADO, (ou Maria Eulália?), c.c. Anastácio Gonçalves de Araújo.

F10- JOÃO RIBEIRO DOS PRAZERES FURTADO, c. c. Madalena Silva.
Filhos: Stela, Rui.

F11- ALICE RIBEIRO FURTADO, faleceu solteira.

F12- MOYSÉS DA SILVA FURTADO, c. c. Virgínia Machado (de Floripa).

Rua Sebastião Furtado, São Joaquim, SC.


Referências


[i] PIAZZA, W. (org.). Dicionário político catarinense. Florianópolis: Edição da Assembleia Legislativa do estado de Santa Catarina, 2ª ed., 1994.
[ii] Inventário de Moysés da Silva Furtado, 1900. Processo nº 23 da Segunda Listagem de Inventários de Lages, p.22, de Gilberto Machado, arquivado no Museu do Judiciário Catarinense, Florianópolis.
[iii] PIAZZA, W. (org.). Dicionário político catarinense. Florianópolis: Edição da Assembleia Legislativa do estado de Santa Catarina, 2ª ed., 1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário