quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Rua Manoel da Silva Ribeiro


Ismênia Ribeiro Schneider
Cristiane Budde

       Dentre as famílias que vieram habitar a Serra Catarinense em seus primórdios, podemos citar a Família Ribeiro, sendo o primeiro ancestral em terras brasileiras de que temos conhecimento, Manoel da Silva Ribeiro. Este, natural de São Pedro de Atei, Arcebispado de Braga[i], nascido por volta de 1712. Faleceu em Lages, em 04-10-1802[ii]. Era filho de Domingos da Silva Ribeiro e Domingas Pereira.
       Manoel da Silva Ribeiro foi soldado em Portugal. Não se sabe bem ao certo quando veio para o Brasil, mas apenas que se estabeleceu, primeiramente, no Rio Grande do Sul (SCHNEIDER, 2013). Mais tarde, subiu para a Serra Catarinense. De acordo com o Prof. Walter Dachs (1961), “as datas do batismo de seus filhos Ignácio e Manoel evidenciam que Manoel da Silva Ribeiro era morador nos campos das Lagens quando neles, aos 22 de maio de 1771, ''Se escolheo a melhor Cituaçao e terreno para Se levantar pelourinho em cinal da jurisdição" (grafia original).
Em livro citado pela pesquisadora Edinna B. Pereira Figueiredo (2018), encontramos um registro interessante sobre Manoel da Silva Ribeiro:
Dizem que o primeiro morador destas terras de tigres e bugres de gado alçado muito “brabo”, depois dos Jesuítas e seus índios missioneiros, foi um homem valente que veio do Rio Grande do Sul, Manoel da Silva Ribeiro, conseguiu não sei quando a sesmaria do Pelotas, cerca de 450 milhões de campo, todo esse canto do Rio das Contas, Pelotas, Rio Baú e Serra Geral. Até que passava o Pelotas pelo lado da Varginha. Isso há muitos e muitos anos. Foi tudo sendo dividido (DALL’ALBA, 1994, p. 189, apud Figueiredo, 2018).
          Casou-se com Maria Bernardes do Espírito Santo (nasc. 1733, em Laguna, SC – falec. 1808, Lages), filha de Bernardo Buenavides e Domingas Leite Peixoto, com quem teve, ao menos, 11 filhos. De acordo com o pesquisador Luiz Antônio Alves, “segundo as anotações do Prof. Walter Dachs, Maria tem sangue dos índios aldeados na Capela de Viamão”.
Manoel da Silva Ribeiro foi Juiz Ordinário de Lages em 1772, e também presidiu as seções da Câmara da Vila Nossa Senhora dos Prazeres das Lagens nos anos de 1775 a 1778 (DACHS, 1961). Embora existam outras pessoas com o mesmo nome (aspecto comum na Serra Catarinense ao se estudar genealogia), “Manoel da Silva Ribeiro”, acredita-se que a homenagem como nome de Rua em São Joaquim (SC) se deve a este ancestral remoto, personagem importante nos primeiros tempos de habitação da Serra Catarinense.

Figura 1 - Rua Manoel da Silva Ribeiro, São Joaquim (SC).

Filhos de Manoel da Silva Ribeiro e Maria Bernardes do Espírito Santo:
F1 – PEDRO DA SILVA RIBEIRO (1746 – 1835), c.c. Anna Maria de Saldanha, filha de Caetano Saldanha e Maria Ferreira.
F2 – LEONOR BENAVIDES (1749 – 1753).
F3 – EUGÊNIO DA SILVA RIBEIRO (1750 – 1770).
F4 – MANOEL BERNARDO DA SILVA (RIBEIRO) (nasc. 1755).
F5 – FRANCISCO BERNARDO DA SILVA (RIBEIRO) (nasc. 1757), c.c. Antonia Maria Gomes. Esta, filha de Josué da Silveira e Luiza Gomes de Carvalho[iii].
F6 – DOMINGOS JOSÉ DE BRITO (1760 – 1838). De acordo com o pesquisador Luiz Antônio Alves, “adotou o sobrenome dos antepassados lagunenses”.
F7 – JOSÉ DA SILVA RIBEIRO (nasc. 1767), c.c. Antônia Maria de Jesus, filha de Salvador Antunes e Quitéria Maria de Souza.
F8 – MANOEL JOAQUIM DA SILVA RIBEIRO (26/04/1772[iv] – 1800). Solteiro.
F9 – ANNA JOAQUINA BOENAVIDES (1773 – 1817), c.c. Miguel Bicudo do Amarante, filho de Gonçalo Bicudo do Amarante e Jacintha Maria.
F10 – IGNÁCIO DA SILVA RIBEIRO (nasc. 1774), c.c. Anna Muniz de Saldanha, filha de Antônio José Muniz e Genoveva Maria de Saldanha.
F11 – EUFRÁZIA MARIA BENAVIDES (nasc. 1776), c.c. Manoel Teixeira de Brito, filho de Sebastião Teixeira e Luíza Gomes.

Figura 2 - Árvore genealógica de Manoel da Silva Ribeiro.


            Além dos filhos citados, o pesquisador Luiz Antônio Alves cita mais três:
- Matheus Ribeiro da Silva e Souza;
- Felisbina de Saldanha;
- Ignácia Maria de Saldanha.
            Até o momento, não encontramos mais informações a respeito desses filhos.


Obs.: Mais informações sobre os descendentes de Manoel da Silva Ribeiro podem ser encontradas no livro “O Voo das Curucacas: Estudo Genealógico de Famílias Serranas de Santa Catarina”.


Referências

ALVES, Luiz Antônio. Descendentes de Domingos da Silva Ribeiro. Disponível em: http://www.fuj.com.br/files/SK0AjApAWmEiis3.rtf. Acesso em: 11 set. 2018.

DACHS, Walter. Manoel da Silva Ribeiro, LII. Histórico da Vila de Nossa Senhora dos Prazeres das Lagens. Jornal Guia Serrano, Lages, 1961.

DALL’ALBA, João Lenoir. Mineiros e Colonos em Orleans. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 1994.

FIGUEIREDO, Edinna B. Pereira. Raízes centenárias de São Joaquim da Costa da Serra. Videira: Êxito, 2018.

SCHNEIDER, Ismênia Ribeiro. O voo das curucacas: estudo genealógico das famílias serranas de Santa Catarina. Letra editorial: Florianópolis, 2013.

SCHNEIDER, Ismênia Ribeiro. Acervo particular.


[i] BOGACIOVAS, Marcelo. Antigos Proprietários Rurais de Lages. Revista da Asbrap, nº 6, 1999.

[ii] LIMA, ROGÉRIO Palma. Documento fornecido: Certidão de óbito Manoel da Silva Ribeiro. Dado inserido em 07-08-2011. Disponível em: www.genoom.com. Acesso: 20 fev. 2012.

[iii] ALVES, Luiz Antônio. Descendentes de Domingos Ribeiro da Silva. Disponível em: http://www.fuj.com.br/files/SK0AjApAWmEiis3.rtf. Acesso em: 11 set. 2018.

[iv] LIMA, ROGÉRIO Palma. Documento fornecido: Certidão de batismo de Manoel Joaquim da Silva Ribeiro. Disponível em: https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:939Z-YRST-YR?i=8&wc=11578482&cc=2177296.

Nenhum comentário:

Postar um comentário